sexta-feira, 1 de maio de 2009

O Abraço ...


O matuto falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar sobre cada palavra que dizia ... 
- É ... das invenção dos homi, a que  mais tem sintido é o abraço.

Quando  ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia ...

Quandu ocê tá cum muita reiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum reiva ...

Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele, ele cumeça a miorá, i ocê miora junto tamém ... 

Quandu ocê abraça arguém, fais massarge no coração ...

I o coração do ôtro é massargiado tamém!


4 comentários:

Marcio RIbeiro disse...

Essa foi uma preciosidade que o Hamilton Nascimento me enviou ... tem cheiro de mato ... de terra e de pinhão ... que tal um pinhão a beira do fogão de lenha ??? Boa semana a todos !!!

Tuco Egg disse...

Ê trem bão qui é um abraço sô. Inda mais um abraço cum pinhão na brasa.

Claudia disse...

Olá MARCIO. Descobri a Comunidade Teologia Poética e aí acabei chegando...Como os versos fazem ninho no meu coração, este é um lugar certo. Gostei do texto. Abraço
Claudia

Marcio RIbeiro disse...

Valew Claudia ... vamos indo por esse chão ... na busca de melhor semelhança com Aquele que traz sempre fina esperança !!! Grande abraç(o____ e seja bem vinda !!!